Paróquia de Santo Antônio

Reflexão Dominical › 12/04/2019

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor

Paróquia Santo Antônio da Lapa

Diocese de São José dos Pinhais


Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor

13 e 14 de abril de 2019

Pe. Celmo Suchek de Lima

 

            Inocente, Jesus quis sofrer pelos pecadores.

            Santíssimo, quis ser condenado a morrer pelos criminosos.

            Sua morte apagou nossos pecados e sua ressurreição nos trouxe a vida nova.

– Prefácio da Missa da Paixão do Senhor.

 

O prefácio da missa do Domingo da Paixão do Senhor nos ajuda a refletir e a venerar a incomensurável obediência de Jesus no cumprimento da missão recebida do Pai: Jesus esvaziou-se de si e humilhou-se a si mesmo (cf. Fl 2,6-8) para nos dar a salvação. Fez-se obediente em nosso lugar, os desobedientes.

Através da atitude de obediência Jesus nos ensinou o jeito de amar a Deus: aprender a amar Deus, portanto, é o caminho para a redenção dos homens (Bento XVI in revista alemã “Klerusblatt”). Fez-se obediente até a morte, e morte de Cruz (cf. Fl 2,8).

Jesus viveu a obediência qual servo sofredor anunciado pelo profeta Isaías (50,5): o Senhor abriu-me os ouvidos, não lhe resisti, nem voltei atrás. De ouvidos abertos Jesus não se apegou da sua condição divina, decidiu tornar-se semelhante às pessoas humanas, viveu a liberdade humana na filial confiança daquele que nos ama eternamente.

O salmista (Sl 21) recorda-nos que há os que riem e os que ironizam da esperança em Deus que ama. Não nos sintamos envergonhados e sequer desanimemos: o Senhor Deus é a força que vem em nosso socorro.

Sua paixão é nossa alegria,

sua sepultura, nossa ressurreição,

seu batismo, nossa santificação.

– Santo Atanásio, in “Sobre a Encarnação do Senhor” 3-5, séc. IV.

A Igreja de hoje é como nunca antes uma Igreja de mártires e assim testemunha do Deus vivo (cf. Bento XVI). É a Igreja servidora dos preferidos do Reino de Deus; corresponsável e fraterna entre os seus; misericordiosa com todas as pessoas; e que traz em si o que pertence ao Cristo, inocente e santíssimo.

Tornar-se servo obediente, amar a Deus: aprendamos este ensinamento que nasce da paixão do Senhor e com Ele, ressuscitemos em sua glória.

X